Porque é que sentimos desejo por algumas comidas?

Partilhar este artigo: Partilhar Partilhar Partilhar Partilhar Newsletter

Avalia este artigo: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars

Chega a casa depois do trabalho e precisa de comer pão? Está sentado no sofá e apetece-lhe queijo? São 11 da noite e o seu corpo pede chocolate?  Não se preocupe se respondeu que sim a estas três preguntas. Estes desejos súbitos e muito específicos são a forma do seu corpo dizer-lhe que lhe falta algum nutriente que associa a essa comida.

Descubra aquilo que o seu corpo realmente pede quando lhe chama a atenção com um destes desejos e conheça as alternativas saudáveis para os saciar.

 

Doces e comidas açucaradas

Se não consegue parar de pensar em doces e bolos, o mais provável é que o seu nível de açúcar no sangue esteja a flutuar e, por isso, está constantemente a pedir açúcar. Responder a este desejo com bolos e alimentos açucarados, só irá provocar alterações ainda maiores e agravar a sua dependência pelo açúcar.

Ataque este desejo com fruta. Os seus açúcares naturais vão ajudá-lo a saciar o desejo de doces e a fibra vai ajudá-lo a controlar o seu apetite.

 

Chocolate

O desejo por chocolate é provocado, muitas vezes, por um déficit de magnésio. Estima-se que mais de 80% da população tem falta de magnésio, sendo esta a razão pelo qual o desejo de chocolate é um dos mais comuns. Se costuma comer chocolate, escolha o chocolate preto, pois é o que contém mais cacau. Para atacar este desejo com alimentos mais saudáveis, opte por comer frutos secos.

 

Queijo

O desejo por queijo ou pizza geralmente indica uma deficiência de ácidos gordos. Opte por alimentos ricos em gorduras saudáveis, como o salmão ou nozes, para restabelecer os níveis normais.

 

 

Fonte: https://www.womenshealthmag.com/weight-loss/food-cravings/slide/3

Partilhar este artigo: Partilhar Partilhar Partilhar Partilhar Newsletter

Avalia este artigo: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars

Se gostou deste artigo, subscreva a nossa newsletter, para receber conteúdo atualizado diretamente no seu e-mail.

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *